Tanto o homem quanto a mulher podem promover a alienação parental. Habitualmente, quem detém maior convivência tem maiores chances da prática, afinal, o genitor que se encontra com reduzida convivência tem menos chance de submeter suas vontades. 

Um exemplo:

Uma criança que passa o final de semana com um pai extremamente permissivo, que não sabe impor limites para a criança/adolescente, ele pratica alienação parental, já que a parte que realmente educa é vista como sendo a pessoa má da relação.

Uma criança ou um adolescente não consegue distinguir com plenitude o que é melhor para si, por isto existe o sistema protetivo. Imagine aquele paizão de final de semana levando o filho no burgão…. batata frita… e na casa da mãe é só brócolis…. óbvio que a criança vai preferir o pai.

Quando esta preferência extrapola a razoabilidade, quando começa a interferir na relação e convivência daquele que está sendo afetado, posso dizer que há alienação parental.

Você também pode se cadastrar em nossa newsletter ou nosso RSS Feeds.





Comentários Facebook

GRUPO WHATSAPP OUÇA NOSSO PODCAST
GRUPO TELEGRAM GRUPO FACEBOOK