Posso Bloquear Madrasta/Padrasto de Contato com meu Filho?


Posso Bloquear Madrasta/Padrasto de Contato com meu Filho?

Jamais! Aliás, pode ser bom para a criança esse contato, se formos  pensar que se trata de uma pessoa que detém afeto e carinho pelo menor.

Agora, se for alguém que faz mal para a criança, e isso puder  ser provado, com certeza o contato não só pode como DEVE
 ser proibido, mas LEMBRE-SE, você tem de JUSTIFICAR e PROVAR isso na JUSTIÇA, não pode ser apenas você falando algo que não goste ou porque motivos pessoais.

PENSE SEMPRE NO MELHOR A SEU FILHO!

Você também pode se cadastrar em nossa newsletter ou nosso RSS Feeds.

Comentários Facebook

GRUPO WHATSAPP OUÇA NOSSO PODCAST
GRUPO TELEGRAM GRUPO FACEBOOK


5 Práticas de Alienação Parental


texto de http://www.instagram.com/joabsonferreira

Hoje iremos abordar 5 práticas típicas de alienação parental:

1- dificultar contato de criança ou adolescente com genitor;

2- omitir deliberadamente a genitor informações pessoais relevantes sobre a criança ou adolescente, inclusive escolares, médicas e alterações de endereço;

3- mudar o domicílio para local distante, sem justificativa, visando a dificultar a convivência da criança ou adolescente com o outro genitor, com familiares deste ou com avós;

4- realizar campanha de desqualificação da conduta do genitor no exercício da paternidade ou maternidade;

5- dificultar o exercício do direito regulamentado de convivência familiar;

Então se você é pai ou mãe e pratica alguma dessas condutas, cuidado, você pode estar escorrendo em uma ilegalidade, podendo responder criminalmente, civilmente e administrativamente.

Você também pode se cadastrar em nossa newsletter ou nosso RSS Feeds.




Comentários Facebook

GRUPO WHATSAPP OUÇA NOSSO PODCAST
GRUPO TELEGRAM GRUPO FACEBOOK


Princípios da Dignidade da Pessoa Humana e o da Isonomia


O rol de direitos elencados no artigo 5′ e seus 78 incisos não são exaustivos, mas ressalta, os princípios da dignidade da
pessoa humana e o da isonomia, que garante igualdade entre homens e mulheres, seja em obrigações, seja em direitos.

Os artigos 1 .632 e 1 .634 do Código Civil asseguram ao genitor que não detém a guarda do filho o amplo direito de participar
da sua vida escolar não apenas como como direito, mas também como dever fundamental do cidadão.

O princípio universal do interesse maior da criança e do adolescente nos ensina que: a divisão equilibrada abrange,
inclusive, a situação de ex-conjuge. 

A separação judicial, o divórcio e a dissolução da união estável não alteram as relações entre pais e filhos.

Art. 1 .634. Compete aos pais, quanto à pessoa dos filhos
menores:

1 – dirigir-lhes a criação e educação;
Atitudes que resultem em distanciamento do genitor não-guardião devem ser repelida, haja vista, o considerável prejuízo que pode causar à formação dos filhos.

A Leí n’ 9.394/96 – Lei de Díretrizes e Bases da Educação, deixa certo que:

Art. 12. Os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de:
VI – articular-se com as famílias e a comunidade, criando processos de integração da sociedade com a escola;
Vll – informar os pais e responsáveis sobre a freqüência e o rendimento dos alunos, bem como sobre a execução de sua
proposta pedagógica.

Você também pode se cadastrar em nossa newsletter ou nosso RSS Feeds.

Comentários Facebook

GRUPO WHATSAPP OUÇA NOSSO PODCAST
GRUPO TELEGRAM GRUPO FACEBOOK